Atención

Namastibet


Resultados para el mes de " DE 2012"



, 16:53

O tempo às avessas

Publicado por namastibet  |  0 comentarios  


Reblogged from Marafado:

Click to visit the original post

A relação do português com o tempo é deveras complicada.

Temos a mesma palavra para significar a meteorologia e o espaço temporal, ao contrário dos ingleses, por exemplo, que usam weather e time.

Geralmente, dizemos que o tempo anda às avessas quando faz frio no verão ou faz calor no inverno.

Deve ter sido essa a impressão com que ... seguir leyendo »


Envía tu comentario (0)
Enviar a un amigo     Imprimir este Post


, 20:07

Luzes

Publicado por namastibet  |  0 comentarios  


 
Eu queria mirar assim meu por de sol real ou imaginado
E bebe-lo
Eu queria mergulhar no céu só pra pegar nesse vazio/cheio
De belo
Eu queria tirar o tule desse céu e usar na cara como véu ou breu
Mas meu…meu…meu
Eu queria migrar hoje pra voltar amanhã de novo e vê-lo
Bem cedo
Eu queria sorver as gotas de orvalho dos castanhos cedros
Ou dos seus imaginados raios ou verdes cabelos
Eu queria cegar ao vê-lo mas por fim chegar a ele primeiro
Que os outros e no corpo, tê-lo…tê-lo
Eu queria poder ser ave e voar por sobre todos eles
Eu queria ser belo assim com’ele, o sol
Mas sou pobre demais pra tê-lo na minha arte,no meu bolso no meu ... seguir leyendo »


Envía tu comentario (0)
Enviar a un amigo     Imprimir este Post


, 20:05

Sou de tod’o tamanho

Publicado por namastibet  |  0 comentarios  


Sou d’tod’o tamanho…

 



Sou de um tamanho que já não mais

Existe,”o desolado d’um comunista”
Em subtítulo (porque o rotulo m´falta)
E imposto p´los partidários rituais,
 
Nas greves, manifestações, etc,etc.
Ser apelidada de “pecadora original”,
É, d’alguma forma bastante formal,
P’ra t’soltares no látex pl’a quantia certa.
 
“Operárias sem trabalho” na ... seguir leyendo »


Envía tu comentario (0)
Enviar a un amigo     Imprimir este Post


, 20:04

Não há paisag…

Publicado por namastibet  |  0 comentarios  


Não há paisagem que ame mais…

 
 

Não há paisagem que ame mais que a vida.

Habito nessa viagem,
Onde a saudade não é permitida,
 Navego à deriva ,sem terra à vista,
 De viva-voz, não posso
Alterar o seu rumo.

Não deixo na Terra,
Uma só vagem de vida;
Talvez a minha margem,
Seja de silva agressiva
E transporte na bagagem,
Um imaginário desarrumo.

Jorge Santos (10/2010)

... seguir leyendo »


Envía tu comentario (0)
Enviar a un amigo     Imprimir este Post

Sobre este Blog
Blog creado por namastibet el 13/09/2012

A ROTA DA SEDA A ideia em seguir de bicicleta a rota mercantil primordial da humanidade, tinha-se adaptado à imaginação, durante anos como uma lapa ou um crustáceo nas rochas, Jo (o Transhumante) pensou ser chegado o momento de partir....


Archivo

Últimos comentarios